quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O tempo...ah o tempo...

Às vezes por falta de discernimento do tempo a gente leva alguns golpes que não esperava. Larry Crab já disse que na verdade, não são as pessoas ou as circunstâncias que nos frustram, nós é que nos frustramos com as nossas expectativas equivocadas que criamos.

Vivemos em um mundo onde as pessoas são valorizadas pelo que tem e não pelo que são. Sinceridade, honestidade e retidão, em uma sociedade como a nossa, são virtudes descartáveis. Quando se valoriza mais os bens de consumo do que pessoas, a sociedade desemboca em processos de barganhas, um sistema opressor que se aproveita dos fragilizados e humilha o abatido.

Fomos ensinados a nos aproximar das pessoas apenas se elas tem algo a nos oferecer. Ninguém quer se aproximar dos marginalizados ou dos excluídos porque eles não tem nada que aparentemente lhe possa oferecer.

O ministério e a vida de Jesus se diferencia exatamente nisso. Jesus de Nazaré procurou viver ao lado de homens e mulheres que pouco tinham para oferecer, ainda mais em uma sociedade caracterizada pelo poder como era a dele. Jesus discerniu o seu tempo, agiu na hora certa, viveu o ministério de forma intensa. Abraçou o desprezado e solitário. Sabia as horas em que devia entrar ou sair, discernia o momento de ir a uma cidade ou se retirar dela. Ele nunca chegou atrasado, ele sabia a hora de deveria chegar.

Estou lutando, insistindo, mas estou aprendendo a não bater em portas que estão fechadas. Estou andando por caminhos novos, a minha mente divaga por caminhos desconhecidos, mas sem pressa de chegar. Estabeleci um novo ritmo, vou passo a passo, procurando seguir o exemplo de Paulo que disse: “...não penso que eu mesmo já o tenho alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para que estão adiante de mim, prossigo para o alvo...”. Procurando discernir o tempo.

Aprendo com o texto excelente de Eclesiastes que afirma:



Para tudo há uma ocasião certa;
há um tempo certo para cada propósito
debaixo do céu:
Tempo de nascer e tempo de morrer,
tempo de plantar
tempo de arrancar o que se plantou,
tempo de matar e tempo de curar,
tempo de derrubar e tempo de construir,
tempo de chorar e tempo de rir,
tempo de prantear e tempo de dançar,
tempo de espalhar pedras
e tempo de ajuntá-las,
tempo de abraçar e tempo de se conter,
tempo de procurar e tempo de desistir,
tempo de guardar
e tempo de jogar fora,
tempo de rasgar e tempo de costurar,
tempo de calar e tempo de falar,
tempo de amar e tempo de odiar,
tempo de lutar e tempo de viver em paz (Ec 3.1-8).


Vou hesitando, mas vou aprendendo.

Paz seja convosco!
André Santos

Um comentário:

Pastoragente disse...

Graça e paz!
Vim conhecer seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
Já estou seguindo.
Venha dar a honra de sua visita no PASTORAGENTE.BLOGSPOT.COM e, se quiser seguí-lo, vai ser uma alegria para mim.
Lá eu exponho da forma mais realista e divertida possível as situações, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
Fique na paz e um 2010 abençoado para você e toda sua família.
Abração!!!